logoieab

IGREJA EPISCOPAL ANGLICANA DO BRASIL

SADD promove consulta sobre Direitos Humanos – Área l

 

SADD promove consulta sobre Direitos Humanos

Aconteceu em Itaara, no Centro Diocesano da Diocese Sul-Ocidental, nos dias 1 a 3 de junho, consulta sobre Direitos Humanos, promovido pelo SADD (Serviço Anglicano de Diaconia e Desenvolvimento). Participaram representantes da Área I (Dioceses Sul Ocidental, Meridional e Anglicana de Pelotas). Também foi convidada a Diocese do Uruguai. Pelotas esteve representada por dez pessoas: o bispo diocesano e mais três clérigos – Ramacés Hartwig, Eraldo Carvalho e Dilce Paiva de Oliveira; dois jovens: Bianca e Marina. Noeli Tessmann e Odete Carvalho representaram a UMEAB. Participaram ainda o maestro João Carlos Gottinari e Antonio Luis Coimbra. Foram desenvolvidos temas referentes a juventude e mulheres, saúde, drogas e direitos humanos.

O professor Edison Gonçalves (jovem anglicano) falou sobre juventude e a ameaça das drogas, especialmente o crack. O usuário está em todas as classes sociais e atinge todas as idades e chega a todos os lugares inclusive à área rural. Segundo a ONU a droga movimenta no mundo todo mais mais 500 bilhões de dólares. Para o palestrante a Igreja tem papel importante no enfrentamento desta triste realidade, que tanto mal traz ás famílias. Precisa sobretudo cuidar das crianças e dos adolescentes. Inculcar valores positivos, elevar a auto estima dos pequenos e dos jovens, motivar a afetividade, promover esportes e a cultura artística. Edison destaca que não basta falar mal da droga e dos usuários e apontar os riscos que ela representa, é necessário antes de tudo conhecer a realidade, estar aberto ao diálogo e apoiar em caso de necessidade.

Andreia Silva, membro da Igreja Católica Romana, participante da pastoral da saúde, partilhou sua experiência junto ao grupo de mulheres que tem a saúde debilitada pelo vírus da HIV ou ou sofrem com a doença da AIDS, sobretudo preconceito e discriminação. E o pior de tudo, cerca de 90% não sabe que estão infectadas. Além da doença muitas mulheres sofrem violência, mais de 80% nos próprios lares. Destacou que nos últimos 30 anos, a violência contra as mulheres no Brasil aumentou 217%. O Conselho de Direito da Mulher está legalmente constituído, mas não consegue cumprir com seu papel e tão pouco existe em todos os municípios brasileiros.

Os representantes da Consulta, reunidos em pequenos grupos refletiram sobre o conteúdo apresentado e contribuíram também com suas experiências locais e se lançaram na organização de projetos tendo em vista a qualidade de vida do povo sofrido. Traçaram inclusive as linhas gerais de um projeto em nível regional.

A professora Carmen Regina Gomes, membro do SADD, estimulou os participantes da Consulta a se comprometerem nas suas dioceses e paróquias a trabalharem com entusiasmo em defesa dos direitos humanos da juventude e mulheres, para que todos tenham vida digna. Lembrou que o SADD é ainda uma instituição nova mas já está fazendo a diferença ao apoiar projetos em diferentes regiões do Brasil. Considerou que os anglicanos brasileiros precisam apoiar esta iniciativa e juntar-s aos organismos internacionais como a Christian Aid e contribuir de alguma forma para que o SADD cumpra seu objetivo num Brasil ainda tão carente e com visíveis desigualdades.

O encerramento da Consulta aconteceu no domingo, com celebração na Catedral do Mediador, em Santa Maria. Dom Renato Raatz presidiu a celebração eucarística e a Revda. Dilce Paiva de Oliveira foi a pregadora. O maestro João Carlos Gottinari também contribuiu com a música na liturgia. Os participantes da consulta foram acolhidos pelo bispo diocesano Dom Francisco da Silva, pela deã Revda. Ilaine Zschornack e junta paroquial.

Mais Fotos:

Sinope Desenvolvimento Digital