logoieab

IGREJA EPISCOPAL ANGLICANA DO BRASIL

Iniciativa de Treinamento de Bispos e Bispas – Maputo

O Conselho das Províncias Anglicanas na África (CAPA) organizou uma iniciativa de treinamento de bispos bilíngue (inglês e português) em Maputo, Moçambique. No qual nossa Bispa Meriglei Borges Silva Simim esteve presente no final do mês de julho até inicio de Agosto.

Notícia adaptada via: anglicancommunion.org

2 de agosto

O salmo cantado de forma responsória foi seguido pelo  sermão incentivando os bispos(as) e esposos(as) a sair do caminho para passar tempo na presença de Deus. É essencial orar e meditar na Palavra de Deus no nosso ministério. Assim como Moisés, Elias e outros  experimentaram a presença de Deus na montanha, nós também precisamos de priorizar tempo para buscar a Sua presença. Isto é fundamental para ter forças  no ministério. Mas, precisamos compreender que a experiência da montanha é para o benefício dos outros – não é apenas para nós. A sessão sobre ‘Ministério em meio às mudanças no contexto’ sugeriu que bispos e cônjuges adotassem a mentalidade da águia – abraçando e adaptando às mudanças contextuais. A alegria da comunhão destes  últimos dois dias está evidente, bem como a tristeza do momento da despedida agora que nos preparamos para nosso regresso a casa e ministério. É por isso que a Bispa Sarah nos incentivou a sair do caminho e buscar a pérola preciosa  – não para nosso próprio bem, mas para o bem daqueles que fomos chamados para servir.

1 de agosto

Apesar do tempo frio e chuvoso, hoje foi um dia abençoado com vários discursos engajantes sobre diferentes aspectos da nossa vida como Comunhão e como ministramos em contextos de diversas religiões e multi-culturais de muitas partes das nossas respectivas dioceses no continente. A contribuição inteligente dos bispos e algumas esposas indica o desejo de permanecermos em comunhão e amizade na medida que exploramos, nutrimos e fortalecemos nossos laços de unidade e cooperação como membros da Comunhão.

Levando em consideração a realidade das complexidades do continente da África, ficou evidente que o ministério da igreja está desafiado mas também ampliado pelas questões complexas relacionadas a fé, etnicidade, raça e cultura. A opinião que compartilhamos é que vale a pena abraçar e celebrar a nossa diversidade natural. Juntos trabalharemos para ser uma igreja que permanece disposta a acolher todos os grupos representados. 

30 de julho

Um fim de semana maravilhoso – grande parte do dia de ontem foi passado ao ar livre, na praia e com uma vista inspiradora dos arranha-céus de Maputo do outro lado da baía. No entanto, poucas pessoas quiseram arriscar o mar…

Hoje reunimo-nos com muitas paróquias locais para uma grande celebração num estádio de basquetebol. A música foi espetacular – um coro animado encheu um lado inteiro das bancadas – tal como foi a experiência de partilhar a Eucaristia com mais de mil pessoas. O Arcebispo Carlos (IAMA) presidiu e o Arcebispo Chama (Província da África Central) pregou. A União das Mães veio em força, bem como muitas crianças (impecavelmente comportadas).

Voltámos ao modo de conferência para os últimos e preciosos dias. Depois do cume da montanha desta manhã, a segunda semana pode parecer bastante diferente da primeira.  A própria dádiva do espaço e da distância deste “retiro” significará que a preparação para a reentrada pode ser exigente.

28 de julho 

As questões práticas de gestão caíram muito bem hoje – e certamente não impediram a continuação do testemunho entre os participantes, em grande parte sobre a partilha de boas práticas, bem como sobre as lições aprendidas com o que não funcionou tão bem. Muitas das sessões têm sido bíblicas e teológicas, mas hoje aprendemos sobre negócios e estabelecimento de parcerias, um “aperitivo do que seria um MBA”, como uma pessoa lhe chamou.

As e os cônjuges reuniram-se separadamente, apesar de terem abordado alguns temas semelhantes. Terminaram um pouco mais cedo, sendo que (segundo os relatos) o seu passeio na praia se transformou numa festa…

Terminamos a semana com um suspiro de ação de graças. O facto de estarem todos aqui, saudáveis e felizes, e ainda com fome de mais. Amanhã é dia de descanso. Vamos explorar alguns locais ao longo da costa, bem como Maputo. No domingo, haverá uma grande celebração com várias igrejas e os seus coros. Obrigado por terem feito essa jornada conosco até aqui, e desejo-vos um bom fim de semana onde quer que estejam!

27 de julho 

Muitos aqui têm estado a dizer que é um privilégio reunirmo-nos em Moçambique. Não só porque a província é nova – a fervilhar com as alegrias de uma nova vida e de um maior reconhecimento – mas também devido ao impacto da sua igreja na história recente. O Bispo Dinis Sengulane – agora reformado após o mais longo mandato como bispo em toda a Comunhão – veio falar hoje sobre Promover a Paz. Era possível ouvir um alfinete a cair, cada palavra de ouro (procurem-no no Google se estiverem interessadas/os!) A sua história é a personificação das bem-aventuranças: Bem-aventurados os misericordiosos… Bem-aventurados os pacificadores… bem como a importância de Reimaginar no processo de reconciliação. Bicicletas e máquinas de costura em troca de armas, material escolar em troca de balas. 

Amanhã passaremos a alguns aspectos muito práticos da liderança e da gestão. Talvez seja menos provável que isso suscite testemunhos dos participantes. No entanto, podem ter a certeza de que as sessões começam e terminam frequentemente com cânticos, seja em inglês ou português – e hoje, também em shona, zulu e latim. 

Estamos sempre muito gratos pelo apoio da oração de todo o mundo – é como se estivéssemos a ser impulsionadas/os. Mais dois colaboradores chegaram em segurança. Entretanto, ainda falta uma mala para chegar – e até para encontrar – porque, infelizmente, perdeu a etiqueta/código de barras. Oremos para que seja encontrada, provavelmente identificável, se for o caso, sobretudo pelas vestes episcopais que contém!

26 de julho

O dia de hoje foi longo – 5 sessões, para além da oração da manhã/estudo bíblico – demasiado, mesmo para estas/es estudantes bem interessadas/os! Este programa de dez dias já parece tocar apenas a ponta do icebergue, embora um pen drive com todos os nossos recursos e algumas reuniões online pós-Maputo para acompanhamento devam ajudar. Mas continuam a surgir pedidos de novos temas. 

Numa visão geral da história do Anglicanismo, analisámos três mapas do mundo – datados de 600 d.C., 1900 e 2023. Ao mesmo tempo que reconhecemos a notável expansão do Anglicanismo em todo o mundo, discutimos como a implantação de igrejas é o nosso ADN – e oramos por aquelas áreas do mapa que ainda parecem não estar marcadas. 

Terminámos o dia com alegria. Ambas as sessões de zoom de hoje tiveram boa conectividade e também funcionaram bem com os serviços de interpretação. Apesar de termos uma equipa fantástica de colaboradores presentes (e um que acabou de chegar esta noite), foi uma dádiva podermos contar com mais dois. Também estamos a regozijar-nos porque a Ester está a melhorar e também porque o que estava perdido foi encontrado… as malas de três pessoas!

25 de julho

Houve uma enorme alegria quando os pequenos grupos se reuniram pela primeira vez hoje: a mistura interprovincial de bispas/os e cônjuges acrescentou muita riqueza à comunhão.  Todos os dias há uma introdução sobre uma passagem do Evangelho de Marcos e depois passámos algum tempo juntas/os, trocando ideias sobre os nossos diferentes contextos culturais. 

Noutras sessões, as/os bispas/os têm-se desafiado mutuamente para uma liderança servidora. É encantador ver uma polinização cruzada à medida que as ideias são trocadas e os sonhos são concebidos. Duas pessoas das mais recentes no seu papel de cônjuges – que vivem a vários milhares de quilómetros de distância e em fusos horários diferentes – têm-se entusiasmado com a alegria de uma nova amizade (as gargalhadas foram MUITO ALTAS). 

Duas das nossas sessões de amanhã envolverão a transmissão de contribuintes online. Por favor, oremos para que a tecnologia aguente! 

Mais um pedido pessoal: por favor, orem pela pequena Esther, filha de um dos participantes, que tem malária.

24 de julho

Regozijamo-nos com o facto de todos terem chegado, mesmo que ainda faltem algumas bagagens! Ontem visitámos diferentes igrejas locais, pelo que hoje foi o primeiro dia “propriamente dito” do programa de orientação para os novos bispos e seus cônjuges. Começámos com um retiro todos juntos, uma vez que, antes de falarmos das nossas funções e responsabilidades, vimos como discípulos, procurando Deus com todo o nosso coração, alma e força. Concentrámo-nos em Isaías – a sua visão de Deus e o fortalecimento que levou ao seu chamamento no capítulo 6. Houve uma partilha muito profunda sobre os desafios da liderança, incluindo em termos de custos para a vida familiar.  

Para amanhã, gostaríamos de contar com as vossas orações durante a formação dos nossos grupos de estudo bíblico – cada um deles com uma mistura de bispos e cônjuges de diferentes províncias -, após o que os bispos e cônjuges se reunirão em grupos separados para tratar de temas variados. Por favor, orem também por Thomas Williams, um arcediago da Libéria que está a sofrer de uma doença potencialmente fatal e precisa desesperadamente de uma cirurgia dispendiosa.

Sinope Desenvolvimento Digital